Segunda-feira, 25 de Julho de 2005

LER O ADEUS

ADEUS - EUGÉNIO DE ANDRADE
.................
Não temos já para dar.
Dentro de ti não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.
Adeus

Isto é apenas parte de um poema que fala da separação e que resume a verdade.
Quando não há nada, nem para dar nem para receber, é admitir a derrota e assumir que se falhou!
Não, não podemos falar em "falhar" - palavra brusca demais; destroí a auto-estima e isso nunca devemos perder.
Eu perdi-a, às vezes sinto a tua falta, mas já aprendi a viver sem ti. Não falhei em nada; apenas entreguei o meu amor a alguém que não o quis aceitar.
É como eu quero ver as coisas; como as leio!
publicado por Remember às 13:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

UM CONSELHO

CONSELHO - EUGÉNIO DE ANDRADE

Sê paciente; espera que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça

Mas nem sempre esperamos que amadureça ou que o vento passe!
Falamos depressa, sem pensar e às vezes, arrenpendemo-nos do que dizemos!
Não podemos desfazer o que de mal fizemos; por isso, é um bom conselho - seja para quem for, não vá o Diabo tecê-las e tudo poderá desfazer-se em pó!!!
publicado por Remember às 13:04
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Julho de 2005

CRUEL

Diz Florbela Espanca,</strong></em></span>

"Quando me não quiseres mais,
Mata-me por piedade!
Deixares-me a vida, sem ti
É bem maior crueldade"

Perdoa-me, Florbela, mas às vezes, a maior crueldade é jogar com os nossos sentimentos; não é ficar sozinha!
Ficar sozinha e com a nossa dignidade intacta - é uma forma de vida!
publicado por Remember às 13:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 4 de Julho de 2005

SEMPRE A NOSSA MÃE

"Se soubesse como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!"

Eugénio de Andrade - POEMA À MÃE - Os amantes sem dinheiro

Para as nossas mães, nunca crescemos; somos sempre aquela criança que ela trouxe dentro de si!
É natural, mas também pode ser sufocante!
A relação pode ser bem "infeliz", como o poema diz:

"Por isso, às vezes as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.
"
De qualquer forma, nunca nos devemos esquecer que ela é e continuará a ser sempre a nossa mãe e sentiremos sempre a sua falta.
publicado por Remember às 13:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 1 de Julho de 2005

RARO

"Sou feliz e canto
Só por causa de você"

É o refrão da canção de Ivete Sangala, "Beleza Rara".
Gosto muito da canção, mas não sei é possível encontrar essa "Beleza Rara".
Não sei porquê; mas cá dentro do coração, algo me diz que nunca vou encontrar essa "beleza"!
publicado por Remember às 13:47
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ALMA

. DESAFIO

. VOLTAR

. SÓS

. EFECTIVAMENTE

. GOZAR

. NO MUNDO

. FRIO

. COISAS

. BOM LIVRO

.arquivos

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds